quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Símbolos da China


Símbolos apontam caminhos, mostram qualidades de que necessitamos, lembram quem somos e como a vida pode ser mais leve. Símbolos são também objetos que fazem mágica. Atraem a lembrança dos deuses, nos fazem dar a mão ao infinito e nos tornam parte de todas as coisas. Certificam que o Universo é bondade, apesar da confusão humana. Símbolos mostram que a vida é um sonho e, mudando o pensamento, mudamos nosso mundo. Contemplar um símbolo ajuda a arejar a mente, a enxergar e pensar outras coisas, novas e melhores. Símbolos contam histórias, falam de guerreiros e sábios, do valor da natureza e dos elementos, e de como somos parte profunda de tudo isso. 

Signos da mudança 


Existem quatro formas de mudar para melhor seu destino, disse um mestre chinês. A primeira é fazer boas ações, o bem atrai o bem. A segunda é a auto-educação, se aperfeiçoar sempre. A terceira é atrair a boa sorte, pensando positivamente, aprendendo com as situações da vida. A última é cuidar dos nossos ambientes: a casa, a cidade, o planeta. Na China, essa última parte é feita de muitas maneiras. Uma das formas mais antigas é utilizar sím bolos, pois o conhecimento era passado pela arte, o que permanece até hoje: no guardanapo de papel, que vem com um poema impresso, nas flores simbólicas dos jardins, nas inscrições sagradas na face das montanhas, nos altares espalhados pelas ruas, nos áridos e opressores edifícios hipermodernos. Na China, especialmente, os objetos falam. Temos de ouvir com os olhos e ver com os ouvidos.



Fogo
Verão, calor, entusiasmo e irradiação. Todas as imagens de movimento ou dança, pessoas ou animais, trazem consigo uma força de vida: o fogo. Como a pintura do Galo Majestoso (ao lado), um símbolo de elegância, produtividade e inteligência, boa para contemplar logo na entrada do ambiente. Ou da Dança do Leão (acima), ritual chinês que, no ano-novo, exorciza o mal e atrai a boa sorte. Na China, o leão é um protetor e, como escultura, é colocado do lado de fora da casa.


Yin Yang
Nos momentos de escuridão (yin), apegue-se à luz (yang)... Yin e yang falam da dualidade do mundo: terra/céu, feminino/masculino, morte/ vida, água/fogo, repouso/atividade, nós/eles. Yin é montanha, estática. Yang, água em movimento. O paraíso é o lugar onde yin e yang se encontram. Na ilustração, os peixes indicam que essas duas forças que governam o Universo são vivas, criativas e criadoras.

Madeira
Existem quatro formas de mudar para melhor seu destinoâ, disse um mestre chinês. A primeira é fazer boas ações, o bem atrai o bem. A segunda é a auto-educação, se aperfeiçoar sempre. A terceira é atrair a boa sorte, pensando positivamente, aprendendo com as situações da vida. A última é cuidar dos nossos ambientes: a casa, a cidade, o planeta. Na China, essa última parte é feita de muitas maneiras. Uma das formas mais antigas é utilizar sím bolos, pois o conhecimento era passado pela arte, o que permanece até hoje: no guardanapo de papel, que vem com um poema impresso, nas flores simbólicas dos jardins, nas inscrições sagradas na face das montanhas, nos altares espalhados pelas ruas, nos áridos e opressores edifícios hipermodernos. Na China, especialmente, os objetos falam. Temos de ouvir com os olhos e ver com os ouvidos.


Metal
Verão, calor, entusiasmo e irradiação. Todas as imagens de movimento ou dança, pessoas ou animais, trazem consigo uma força de vida: o fogo. Como a pintura do Galo Majestoso (ao lado), um símbolo de elegância, produtividade e inteligência, boa para contemplar logo na entrada do ambiente. Ou da Dança do Leão (acima), ritual chinês que, no ano-novo, exorciza o mal e atrai a boa sorte. Na China, o leão é um protetor e, como escultura, é colocado do lado de fora da casa.

 Dragão
Dragão é o nome ocidental deste ser fantástico, imaginário, que os chineses chamam de Lun. No corpo de uma serpente, ele reúne qualidades de inúmeros animais: olhos de lebre, rosto de camelo, escamas de carpa, orelhas de touro, patas de tigre, chifres de veado... O dragão tem a força de todos eles e, como vive naágua e na terra, voa e cospe fogo, ainda carrega em si todos os elementos. Simboliza a natureza viva, que gera todas as coisas. 


Água
Recolhimento, inconsciente, sabedoria, sono, inverno. Nas pinturas chinesas, as carpas falam da essência de vida que existe nas águas. Banhar-se nas águas vivas de rios, mares e cachoeiras purifi ca o corpo e a alma, ajuda a manter a saúde integral. Beber água de uma fonte vivifi- ca o corpo. A contemplação de águas tranqüilas ajuda a desenvolver a sen-sibilidade, e dizem que o sentir e o amor se aprimoram na presença da água.


Lao Tsé
Que um país seja pequeno e de escassa população que importa! E se suas forças armadas fossem apenas de dez ou 100 homens, que nem usassem suas armas. Deixemos seus habitantes viver em paz e cultivar seu torrão de terra! Escreveu o sábio Lao Tsé. Mais de 25 séculos depois, a mensagem do mestre ainda é atual.




Kwan Yin
Deusa budista da compaixão e do perdão. É bem provável que Kwan Yin seja a forma chinesa de uma divindade do Tibete: Tara, que teria chegado à China com o budismo. Também está associada à suavidade,à amada mãe divina, que cura e alivia sofrimentos, e aos sentimentos profundos. Ainda se fala dela co mo uma representação visível
da natureza iluminada.


Fonte: Revista Bons Fluídos

 
by Taichirajá I

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Em cada movimento o homem sábio
segue o caminho perfeito".
Lao Tsé

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Volte Sempre!

Postar um comentário